Vida de mosquito

 

Ovo, larva, pupa e adulto são as quatro fases do ciclo de desenvolvimento do Aedes aegypti. Saiba um pouco mais sobre cada uma delas:

 

 

OVO Medem aproximadamente 1 milímetro. De cor leitosa, quase branca, tornam-se em poucos minutos negros e brilhantes, como forma de camuflagem. Em geral, são depositados em diferentes pontos dos criadouros – uma estratégia que garante a sobrevivência de pelo menos parte deles. São muito resistentes e podem sobreviver até um ano longe da água, eclodindo ao primeiro contato com a umidade (11).
LARVA Passam por quatro estágios de desenvolvimento, num período total de 10 dias, que pode se prolongar no caso de alterações nas condições do ambiente – como, por exemplo, frio excessivo. Vivem na água, alimentando-se de bactérias, fungos e protozoários (11).
PUPA Ficam na superfície da água, para facilitar a saída do mosquito adulto. Nesse estágio, que dura entre dois e três dias, o inseto praticamente não se alimenta e respira por meio de tubos ou “trombetas” que ficam para fora d’água. A metamorfose mais impressionante do inseto acontece nessa fase (11).
ADULTO Ao emergir das pupas, os mosquitos ficam pousados durante algumas horas para o endurecimento de seu esqueleto externo e de suas asas. Após 24 horas, estão prontos para a reprodução. A cópula acontece normalmente durante o voo e os espermatozoides são guardados no interior da fêmea, sendo capazes de fecundar todos os ovos que a fêmea irá colocar ao longo da vida (11).

  

 

Ovo Larva Pupa Adulto

      

                                                                                                                                                                                                                                                 

 

 

 

Você sabia?

 

Nem todos os Aedes são infectados pelos vírus causadores de dengue, zika ou chikungunya. A contaminação ocorre quando os mosquitos picam pessoas infectadas e passam a carregar esses vírus em seu organismo. Os vírus se multiplicam e chegam às suas glândulas salivares – é por isso que a transmissão aos humanos ocorre com as picadas. Saiba mais no texto “Do mosquito ao ser humano”. Do mosquito ao ser humano

 

 

___

 

11. Consoli RAGB, et al. Principais mosquitos de importância sanitária no Brasil. 1a reimpressão. Rio de Janeiro, 1994.

 

 

Crédito das Imagens:

Ovo do Aedes Aegypit - Genilton Vieira / Fiocruz         

Larva do Aedes Aegypit - Richard C. Russell / Universidade de Sydney

Pupa - Imagem de domínio público

Adulto - Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) Brasil